Carolina Maia

O vazio da transformação

Se você está passando por uma mudança ou cogitando fazer uma, certamente irá se identificar com o que eu estou dizendo. Seja uma mudança de emprego, carreira, status de relacionamento, de estilo de vida, de casa ou de cidade, você com certeza já deve ter experimentado ou está experimentando o vazio da transformação. Essa experiência surge exatamente nesta fase de transição em que você se dá conta que a situação atual já não te agrada mais, mas percebe que ainda vai levar um tempo até construir o novo. Não está nem lá, nem cá. Está no limbo da mudança.

Quando isso acontece, podemos experimentar uma infinidade de  pensamentos e sentimentos. Talvez o primeiro e mais imediato deles seja “Por que eu resolvi inventar de mudar?”, “ Dá tanto trabalho!”, “ Pelo menos o que eu tinha até então era conhecido e eu sabia como lidar”… tenho que te dizer que esse é o seu cérebro tentando pregar peças em você e querendo fazer você voltar para a sua zona de acomodação. Afinal, uma coisa é fato, se você começou a pensar sobre essa mudança, é bem provável que as coisas já não estivessem mais tão bem assim. 

Outros pensamentos que podem vir a fazer morada neste momento, estão relacionados ao medo de como as coisas serão:  “ e se nada mudar e toda essa confusão tiver sido em vão?” , “ e se eu não conseguir alcançar esse novo?”, “ e se depois que eu tiver ‘chego lá’ eu me dar conta de que não era bem lá que eu gostaria de estar?”. Nosso cérebro não costuma gostar muito daquilo que é novo e desconhecido e costuma entender isso como uma ameaça para nós,  então parte dessa reação é uma tentativa do cérebro de te proteger emitindo um alerta para que possa planejar essa mudança com o cuidado e planejamento que ela merece. E isso é super válido, afinal quando estamos pretendendo mudar, precisamos saber de onde estamos partindo e pensar sobre o lugar em que queremos chegar. O medo não precisa ser algo necessariamente ruim, prefiro entendê-lo como um bom amigo que quer nos manter cautelosos e conscientes das decisões que estamos tomando.

A verdade é que todo esse processo é muito mais sobre mudanças internas do que externas, e por isso costuma ser tão desafiador . É sobre essa confusão de pensamentos e sentimentos que surgem quando decidimos mudar. É sobre a angústia que surge quando te perguntam “Quem você é? O que você faz? Para onde você vai?” e você ainda não tem todas as respostas. É sobre o vazio que surge na despedida do nosso “eu” que ficou para trás, e sobre o desafio de nos depararmos com essa nova versão de nós mesmas com muito mais espaço para a gente crescer nos perguntando como as coisas serão agora. É sobre sustentar a verdade de estar perdida e se encontrando ao mesmo tempo. 

Um pensamento muito útil que costuma me ajudar a enfrentar essa etapa desafiadora do caminho é me lembrar que “eu estou exatamente onde preciso estar agora, fazendo exatamente aquilo que preciso estar fazendo nesse momento.” , e você também está!  Planeje cada etapa da sua mudança com carinho e cuidado, mas não queira apressar nada. De um passo de cada vez, perceba os detalhes, curta o processo, celebre cada nova descoberta, e perceba o quanto as vezes também pode ser interessante abrir mão do controle e deixar a vida te surpreender. Esse é exatamente o tempo que você precisa para se preparar para receber e desfrutar com alegria e sabedoria  tudo o que essa nova fase irá te permitir viver!

Quando pensar em desistir lembre-se do porque você começou, e faça uma lista com todos os motivos pelos quais vale a pena seguir com essa mudança. Para onde ela irá te levar? Como será quando você tiver “chego lá”? O quão próxima você vai estar da vida que sempre sonhou em viver? Como você vai estar se sentindo?. Afinal, como disse sabiamente Viktor Frankl: “Quem tem um porquê enfrenta qualquer como”. Ter consciência dos seus porquês e mantê-los na palma da mão, será essencial nesse processo!

Por aqui tenho vivido esse processo já faz algum tempo, e me deparado com muitos desafios e descobertas. Um dos momentos mais especiais dessa jornada, foi a decisão de escrever esse blog como uma forma de registrar e dar nome às minhas descobertas, e compartilhá-las com você como uma oportunidade de me conectar com outras experiências humanas tão especiais e surpreendentes como as minhas. Por isso, quero fazer desse espaço um lugar repleto de amor, conforto, respeito e conexão. Acredito muito que os encontros nunca são por acaso, então se você está aqui certamente é porque precisa estar, e isso me deixa muito feliz!. 

Que aqui você possa recuperar o fôlego e a esperança para seguir seu caminho com coragem, leveza, saúde e equilíbrio em um espaço reservado com muito carinho para compartilhar com vocês reflexões sobre Psicologia na Prática, autoconhecimento e bem-estar para te inspirar a viver uma vida cada vez mais saudável e feliz, enfrentando com mais leveza e consciência as adversidades que encontrar pelo caminho.

O que você quer levar daqui hoje?

Com carinho,

Carol 

12 Comments

  1. Vívian Widuch

    Carol,
    Minha parceira de mentoria querida! Me identifico com suas reflexões. Já anotei suas dicas e me inspiro no seu exemplo. Que bom que você driblou essa mente, que mente pra gente e tocou seu projeto do Blog em frente. E saiu esse artigo tão rico!Foi de grande utilidade para mim e eu vou compartilhar com outras pessoas.
    Obrigada pela sua coragem e competência!

    1. Carolina Maia

      Vivi querida, recebo tudo com muito carinho!
      Fico muito feliz que o texto tenha feito sentido para você e tocado seu coração de alguma forma, acho que esse é o grande propósito dessas trocas tão valiosas! Gratidão

  2. Sonia Ramos

    Carol, querida! Que artigo importante é verdadeiro! Também me identifiquei com muitos trechos do caminho da transformação! Sentimos esse vazio e é realmente assustador, muitas vezes! Que bom que você usou as suas forças da coragem, criatividade, esperança, persevera e amor, além de tantas outras, para levar esse projeto adiante! Desejo muito sucesso e estarei aqui acompanhando o seu lindo blog! Parabéns!!!🎉🎈🎊

    1. Carolina Maia

      Soninha, obrigada por dividir um pouquinho da sua experiência! Esse processo é mesmo bem desafiador, mas vale a pena quando estamos conectadas com nossas forças e com o que é importante para nós. Vai ser um prazer poder sempre compartilhar esse espaço com você!

  3. Dayane Torrens

    Adorei, Carol! É muito verdadeiro!
    Nos despedir do nosso eu antigo requer coragem, desapego, deixar ir e, ao mesmo tempo, abrir-se para o desconhecido e aprender a se reconhecer em uma nova versão… uma versão que já não tem os mesmos gostos, nem os mesmos interesses, nem os mesmos objetivos…
    Por um período, é tudo muito confuso… mas, quando a gente se permite experimentar de coração aberto, as coisas vão acontecendo e nos preenchendo naturalmente.
    Desde 2021 estou experimentando mudanças e, por vezes, são desafiadoras, mas tem sido necessárias para me tornar a versão de mim capaz de alcançar os meus sonhos! E sempre, sempre tem sido benéficas! 💞

    1. Carolina Maia

      Muito legal essa ideia de experimentarmos as mudanças de coração aberto, Day! Que lindo saber que todas essas transformações tem te permitido conhecer versões ainda melhores de si mesma! Fico muito feliz em saber que o texto fez sentido para você também, obrigada pelo comentário tão enriquecedor!

  4. Alexandre

    Carol,

    Parabéns pelo blog e pelo texto – simples e profundo! Vale a reflexão.

    O primeiro de muitos…

    ✨✨✨

    1. Carolina Maia

      Super obrigada, Ale.
      É uma alegria enorme saber que a reflexão fez sentido para ti!
      Primeiro de muitos com toda a certeza 🙂

  5. Licinio Jr

    Sim, os processos de mudanças nos tiram da zona de conforto, nos desafiam, nos movem.. o importante no final de cada percurso é ver o quando nos desenvolvemos, seja no lado pessoal, profissional ou ambos..e isto é vida!!
    Parabéns Carol belo novo projeto (blog). Com certeza mais um desafio superado e que vai obter ainda mais sucesso em sua via e carreira com esta nova ferramenta..

    1. Carolina Maia

      Com toda a certeza!
      É incrível perceber o quanto o processo por si só já é capaz nos transformar em tantos sentidos…
      Muito obrigada pelo desejo de sucesso, estou muito feliz em ter você aqui fazendo parte de mais um momento tão importante da minha vida!

  6. Nathi Helman

    Carol adorei o seu texto.
    Amo Viktor Frankel, sou neta de uma sobrevivente do holocausto que ao saltar do trem da morte, gravou as palavras tão inteligentes da minha bisavó:”Eu plantei uma árvore, não deixe ela secar”.
    Eu sou fruto dessa árvore…que floresceu e deu vários frutos.
    Um deles foi estudar a PP e iniciar uma nova carreira aos 52 anos, tem sido desafiador porém tento lembrar sempre do meu propósito “descobertar” o que há de melhor em cada um de nós.
    Quem venham os desafios pois eles são na verdade novas possibilidades de nos conectarmos com os nossos Super Poderes Pessoais.
    Obrigada por me ajudar nessa reconexão.

    1. Carolina Maia

      Nathi, me arrepiei aqui, de verdade!
      Muito obrigada por dividir essa reflexão de forma tão profunda e genuína!
      Também acredito demais que são dos nossos maiores desafios que surgem nossas melhores transformações e desejo todo sucesso do mundo para ti nessa jornada tão linda que está trilhando!
      Um prazer ter você por aqui 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *